sábado, 31 de dezembro de 2016

Feliz Ano Todo!

Olá!
Mais uma vez o ano está acabando, e mais uma vez estamos a projetar novos objetivos para o ano que começa.
Quero te desejar um FELIZ ANO TODO, porque teremos 365 dias para fazer tudo ser diferente em nossas vidas. Sempre é tempo de mudar o que nos incomoda, sempre há tempo para ser melhor para o próximo, sempre há tempo para sermos melhores para nós mesmos!
Não deixe seus objetivos para trás, são eles que nos movem! 

Feliz Vida Nova, Feliz Ano Novo!!


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Minha caixa de recordações

Olá!
Hoje gostaria de compartilhar minhas lembranças com vocês. Talvez possa parecer estranho uma pessoa minimalista ter uma caixa com recordações, mas quando fiz o descarte das minhas coisas, limpei essa caixinha também, deixando apenas o que realmente é importante e que tem algo de bom para eu me lembrar. Engana-se quem acha que eu a deixo lá guardada por muito tempo sem mexer. Parece que depois que nos tornamos minimalistas tudo o que possuímos tem um valor maior. Eu adoro abrir minha caixa e lembrar de cada momento que existe lá dentro!



Essas são minhas "relíquias" rsrs. Cada objeto, papel e foto conta minha história, como cheguei até aqui. Ali dentro tenho lembranças do meu pai que faleceu muito novo, mas me deixou o exemplo do estudo para ser alguém na vida e ter um futuro melhor (tenho o diploma dele de bacharel em direito), tenho lembranças da minha tia, que foi um exemplo de bondade e calmaria (a Bíblia), lembranças das minhas avós materna e paterna (aquele cavalinho da materna e uma carta linda da paterna). Outras lembranças como as fotos de toda minha vida, do meu casamento (inclusive a tiara e o terço), as fitas de vídeo de quando era criança (na preta eu apareci na TV rsrs), meus 2 testes de gravidez positivos (o debaixo é de novembro!!!), cartas do meu marido, nossas alianças de compromisso no saquinho, e outras lembranças ali no plástico.
Fiz uma caixinha para minha filha mais velha. Lá eu estou guardando coisas que eu acho que tem significado para ela, mas só quando ela estiver maior é que saberá o que realmente será importante guardar ali.
E você, tem sua caixinha de recordações?

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Livro "A Mágica da Arrumação" Marie Kondo

Se você se interessa por organização, minimalismo, descarte entre outros, provavelmente já ouviu falar do livro "A Mágica da Arrumação" de Marie Kondo (Editora Sextante).



Em uma de minhas viagens esse ano, levei este livro como companheiro. Foi logo que comecei a ler sobre o minimalismo e gostei bastante do conteúdo. É um livro fácil de ler, tem 158 páginas (dá para ler em um dia!), e foi dividido em 5 capítulos: 


  • 1. Por que não consigo manter minha casa organizada
  • 2. Em primeiro lugar, descarte
  • 3. Como organizar por categoria
  • 4. Arrumando suas coisas para ter uma vida sensacional
  • 5. A mágica da organização transforma sua vida

O Método foi batizado de "KonMari", e resumindo: é você jogar fora tudo o que não te traz alegria. A autora diz que todos os cômodos devem ser organizados de uma única vez (para ela, se você organizar um pouco por dia, nunca terá a casa arrumada). Um exemplo bom seria com as roupas: você coloca todas suas roupas em uma pilha no chão (todas mesmo!), olha uma por uma e se pergunta se aquela peça te traz alegria. Se a resposta for sim, você coloca na pilha do que fica, se for não, você agradece (isso mesmo, agradece: obrigada!!) por tudo o que aquela peça representou para sua vida e coloca na pilha do descarte. Depois de separar tudo, é hora de organizar cada coisa em seu lugar.
O princípio básico do Método KonMari é o descarte. Para Marie Kondo, a organização não é só colocar as coisas em caixas e deixá-las esquecidas no fundo do guarda roupa. Fazendo isso, você apenas tira a bagunça da vista, mas não acaba com ela de verdade. O ideal é se livrar da bagunça para sempre, descartando tudo o que não precisamos e ficando apenas com aquilo que nos traz felicidade.
A sequência do descarte é a seguinte:
  • 1. Roupas
  • 2.Livros
  • 3. Papéis (notas, anotações, cupons, garantias antigas...)
  • 4. Itens Variados 
  • 5. Itens de Valor Sentimental (fotos, cartas, cartões, presentes, coleções...)
Marie diz que o ideal é deixar as coisas de valor sentimental para o final, pois elas serão as mais difíceis de descartar, e se as pegarmos logo no início da arrumação da casa, o processo possivelmente não obterá sucesso.
Outra dica da autora é não deixar a família ver e participar do processo, principalmente quando se trata de objetos pessoais.
Agora vou contar um pouquinho da minha experiência com o livro: Fiquei tão empolgada com o assunto que assim que cheguei de viagem comecei o destralhe em casa. Não segui exatamente tudo o que a autora escreveu, fiz as coisas por etapas, mas fiquei focada, não desisti em momento algum. Não tive problemas para descartar nada, nem a parte sentimental. Depois que terminei com os meus pertences, passei para as coisas da casa, e por último nos pertences da minha filha (ela é pequena). Não mexi em nada do meu marido, mas como ele me viu tão empolgada com o processo, também quis participar e fez o mesmo com os pertences dele. Posso dizer com segurança: não me arrependi de descartar nada e no final me senti libertada de todo aquele "peso" que carregava comigo por anos.
No começo eu sei que dá trabalho, mas depois vira automático fazer o descarte das coisas e você pensa mil vezes antes de levar algo para dentro de casa novamente. 


Recomendo a leitura!

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Minimalismo: tirando os excessos

Olá!
Gostaria de começar meu primeiro post agradecendo a você que está aqui neste momento lendo minhas palavras e procurando mais sobre o tema minimalismo. Assim como aconteceu comigo, você irá descobrir como é bom viver apenas com aquilo que te faz feliz e te traz plenitude.




Podemos dizer que minimalismo é a base de uma vida feliz. É você encontrar no meio de tudo o que já tem apenas o essencial e o que te faz bem.
Você pode chama-lo como quiser: conceito, estilo de vida, processo, movimento e etc, mas seu propósito é um só: eliminar excessos! Viver com pouco não significa que você irá sair por ai doando suas coisas, vendendo seu carro, sua casa e abandonando seu emprego (ok, eu sei que tem pessoas que fazem isso, mas calma!). O seu pouco naturalmente será diferente do meu pouco. Cada um tem sua identidade, sua vida e sabe exatamente do pouco que precisa para ter uma vida plena.
Pare e se questione sobre o que é essencial para você? Viajar, trocar de emprego, comprar algo, mudar de cidade, passar mais tempo com a família, amigos, enfim, pense e não tenha vergonha de admitir o que deseja! Questione- se também do por que ainda não fez o que queria. O que te impede? falta de tempo, dinheiro, coragem? Vá atras do quer, planeje, procure meios de ter ou fazer o que deseja. Olhe ao redor da sua casa, o que tem de excesso no ambiente onde vive? Faça uma limpeza, destralhe! Mantenha apenas o lhe é útil e agradável. O que sobrar doe, venda, jogue fora! Muito do que você não usa mais pode ser útil para outra pessoa. Reflita sobre as pessoas com que convive. São legais, te ouvem, são confiáveis,  querem seu bem? Ou ao contrário, são pessoas com energias negativas, que ao chegar perto você não se sente confortável, ou não agregam nada em sua vida? Afaste-se de pessoas assim! Isso não quer dizer que nunca mais você irá cumprimentar-lá, mas também não precisa mais contar sua vida e seus planos. Assuntos banais já são suficientes para não ser indelicado.
O caminho a percorrer pode parecer longo, mas dando o primeiro passo você chegará onde deseja. É natural do ser humano resistir ao novo, mas questione-se se não está na hora de acontecer essa mudança em sua vida. Lembre-se sempre menos é mais! 

" Mude o modo que você olha para as coisas, e as coisas que você olha mudarão." Wayne Dyer