segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Livro "A Mágica da Arrumação" Marie Kondo

Se você se interessa por organização, minimalismo, descarte entre outros, provavelmente já ouviu falar do livro "A Mágica da Arrumação" de Marie Kondo (Editora Sextante).



Em uma de minhas viagens esse ano, levei este livro como companheiro. Foi logo que comecei a ler sobre o minimalismo e gostei bastante do conteúdo. É um livro fácil de ler, tem 158 páginas (dá para ler em um dia!), e foi dividido em 5 capítulos: 


  • 1. Por que não consigo manter minha casa organizada
  • 2. Em primeiro lugar, descarte
  • 3. Como organizar por categoria
  • 4. Arrumando suas coisas para ter uma vida sensacional
  • 5. A mágica da organização transforma sua vida

O Método foi batizado de "KonMari", e resumindo: é você jogar fora tudo o que não te traz alegria. A autora diz que todos os cômodos devem ser organizados de uma única vez (para ela, se você organizar um pouco por dia, nunca terá a casa arrumada). Um exemplo bom seria com as roupas: você coloca todas suas roupas em uma pilha no chão (todas mesmo!), olha uma por uma e se pergunta se aquela peça te traz alegria. Se a resposta for sim, você coloca na pilha do que fica, se for não, você agradece (isso mesmo, agradece: obrigada!!) por tudo o que aquela peça representou para sua vida e coloca na pilha do descarte. Depois de separar tudo, é hora de organizar cada coisa em seu lugar.
O princípio básico do Método KonMari é o descarte. Para Marie Kondo, a organização não é só colocar as coisas em caixas e deixá-las esquecidas no fundo do guarda roupa. Fazendo isso, você apenas tira a bagunça da vista, mas não acaba com ela de verdade. O ideal é se livrar da bagunça para sempre, descartando tudo o que não precisamos e ficando apenas com aquilo que nos traz felicidade.
A sequência do descarte é a seguinte:
  • 1. Roupas
  • 2.Livros
  • 3. Papéis (notas, anotações, cupons, garantias antigas...)
  • 4. Itens Variados 
  • 5. Itens de Valor Sentimental (fotos, cartas, cartões, presentes, coleções...)
Marie diz que o ideal é deixar as coisas de valor sentimental para o final, pois elas serão as mais difíceis de descartar, e se as pegarmos logo no início da arrumação da casa, o processo possivelmente não obterá sucesso.
Outra dica da autora é não deixar a família ver e participar do processo, principalmente quando se trata de objetos pessoais.
Agora vou contar um pouquinho da minha experiência com o livro: Fiquei tão empolgada com o assunto que assim que cheguei de viagem comecei o destralhe em casa. Não segui exatamente tudo o que a autora escreveu, fiz as coisas por etapas, mas fiquei focada, não desisti em momento algum. Não tive problemas para descartar nada, nem a parte sentimental. Depois que terminei com os meus pertences, passei para as coisas da casa, e por último nos pertences da minha filha (ela é pequena). Não mexi em nada do meu marido, mas como ele me viu tão empolgada com o processo, também quis participar e fez o mesmo com os pertences dele. Posso dizer com segurança: não me arrependi de descartar nada e no final me senti libertada de todo aquele "peso" que carregava comigo por anos.
No começo eu sei que dá trabalho, mas depois vira automático fazer o descarte das coisas e você pensa mil vezes antes de levar algo para dentro de casa novamente. 


Recomendo a leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário